Traduzir livros de fogo

Hijung Shin, Coreia

Testemunhos

Quando frequentava a Universidade, nos Estados Unidos, uma amiga deu-me um exemplar de Caminho. Era o primeiro livro de S. Josemaria que lia. Impressionou-me profundamente e queria ler mais. Aprendi muitas coisas nos escritos de S. Josemaria: como falar com Deus, como cuidar das coisas pequenas e amar a Igreja. Mas, sobretudo, posso dizer que as suas palavras me fizeram muito feliz. Queria partilhar esta alegria com muita gente, em especial coma minha família e com os amigos do meu país de origem, a Coreia.

Ao ter conhecimento que algumas pessoas do Opus Dei estavam a começar atividades apostólicas na Coreia no Verão de 2009, pensei que poderia traduzir para coreano alguns escritos de S. Josemaria. Sabia que Caminho tinha sido traduzido e publicado em coreano uns anos atrás, e que tinha muitos leitores. Mas havia muitos outros livros do Fundador do Opus Dei que eu gostaria de ver traduzidos para coreano.

Uma amiga, cuja segunda língua é o coreano, tinha começado a traduzir uma pequena biografia de S. Josemaria para crianças. Ajudei-a a rever o texto, enquanto traduzia algumas homilias e outros escritos. Quando terminei, enviei-os aos meus amigos da Coreia para que os lessem e difundissem. Espero que algum dia estes escritos sejam publicados e possam chegar a mais gente.

Posso dizer que sou eu quem mais lucra com estas traduções. Costumo ler os livros de S. Josemaria em inglês, e cada vez estou mais agradecida ao autor e também a tantos e tantos tradutores que trabalham para levar os ensinamentos de S. Josemaria a muitas pessoas.

S. Josemaria escreveu: “Queria escrever uns livros de fogo, que corressem pelo mundo como chama viva”. Tenho passado tempo a procurar e tornar a procurar a melhor palavra ou a melhor frase para traduzir esse “fogo” que encontro em todos os seus livros. Creio que ainda não me sinto satisfeita. As palavras isoladas não parecem suficientes para contagiar a paixão com que falava S. Josemaria sobre o Amor.

Então, dois pensamentos me consolam: em breve, muitas pessoas na Coreia conhecerão S. Josemaria e, nessa altura, aparecerão mais e melhores traduções. Por outro lado, e estou convencida disso, S. Josemaria ajudar-me-á, do Céu, com essas traduções, para atear o fogo com que ele quis escrever esses livros, e não se fiquem em meras palavras.