Ernesto Cofiño

Ernesto Cofiño nasceu em 5 de junho de 1899 na cidade da Guatemala, onde também fez seus primeiros estudos. Em 1929, obteve com honras o título de Médico Cirurgião na Faculdade de Medicina da Universidade de Paris. Casou-se em 1933 e teve cinco filhos.

Ernesto Cofiño
Opus Dei - Ernesto Cofiño

Dedicou-se plenamente ao exercício da sua profissão com um admirável espírito de serviço que o levava, não somente a ocupar-se da saúde física dos seus pacientes, mas também a fazer seus os problemas pessoais que tivessem. O seu grande sentido sobrenatural e o seu profundo sentido humano levaram-no a fomentar e defender o direito e o amor à vida, propiciando iniciativas e realizando ele mesmo muitas delas, com grande caridade, em benefício de futuras mães, de meninos e meninas de rua, de órfãos, e oferecendo soluções a problemas públicos. Fundou asilos e centros assistenciais. Dirigiu durante 4 anos o Hospício Nacional.

Pioneiro na pesquisa pediátrica na Guatemala, criou e ocupou a Cátedra de Pediatria na Faculdade de Medicina da Universidade de São Carlos (USAC), durante 24 anos. Por sua dedicação generosa à docência mereceu que lhe fosse concedida a Medalha de Ouro da USAC, máxima distinção desse centro universitário.

Tendo conhecido o Opus Dei, Instituição da Igreja Católica fundada por São Josemaría Escrivá em 2 de outubro de 1928 para promover entre pessoas de todas as condições a santificação no meio do mundo através do trabalho cotidiano, encontrou neste caminho a resposta que devia dar à chamada universal à santidade que o Senhor faz a todos os cristãos. No ano de 1956 pediu a admissão no Opus Dei como membro Supernumerário. A partir dessa data, intensificou o seu trato com Deus na oração, na mortificação, na Santa Missa e Comunhão diárias, na Confissão semanal, bem como a sua devoção à Mãe de Deus, convertendo-se em grande propagador da recitação diária do Santo Rosário; dedicou-se ao estudo e à formação doutrinal-religiosa, e intensificou o seu apostolado procurando comunicar a sua alegria e a sua generosidade a muitas pessoas, a quem animava a colaborar economicamente e com suas orações no impulso de iniciativas de promoção humana e cristã, nas quais trabalhava com grande espírito de sacrifício, disposto a por em prática a doutrina social da Igreja.

Colaborou heroicamente com organizações dedicadas à educação e capacitação de camponeses, de operários, de mulheres de poucos recursos e na formação da juventude universitária. Continuou realizando este serviço em favor do próximo com grande abnegação até os 92 anos.

Morreu de câncer, depois de uma longa e dolorosa enfermidade, que enfrentou com fortaleza e resignação heróicas, no dia 17 de outubro de 1991 na cidade da Guatemala.

A todos os que obtiverem graças por intercessão de Ernesto Cofiño, pede-se o favor de comunicá-las à Prelazia do Opus Dei - Escritório para as Causas dos Santos na América Central, 5a. Avenida 4-20, Zona 14, Apartado Postal 111-A, Guatemala, C.A.