UNIV: o futuro, nas raízes

Neste ano, 4.000 estudantes universitários irão diretamente às raízes. O Congresso UNIV os reúne uma vez mais em Roma para analisar o mundo contemporâneo, durante a Semana Santa, junto ao Santo Padre.

Opus Dei

Página oficial do Congresso UNIV.

Os estudante procedem de 200 centros acadêmicos de todo o mundo. A pergunta que os reúne em Roma, à qual têm buscado responder durante os meses de preparação em sessões locais, é: Pode o cristianismo inspirar uma cultura global?

É dizer, se nas raízes de nossa sociedade democrática não há uma visão religiosa do homem, em que fundamentamos as idéias, as leis, a história?

A origem do debate está nas palavras que Bento XVI proferiu em 2008 na universidade romana La Sapienza : “Se nossa sociedade quer somente construir-se a si mesma sobre a base do conjunto de suas próprias argumentações e do que, no momento, a convence, e, apegada à sua laicidade, se afasta das raízes das quais vive, então já não se torna mais razoável e mais pura, mas se desestrutura e se fragmenta”.

Os grupos procedem de 30 países diferentes – Estados Unidos, França, Espanha, Rússia, Hong Kong, Austrália... -, e, por isso, os estudantes trazem visões diferentes e complementares sobre a mesma questão: o cristianismo ainda tem forças para seguir dando vida à sociedade multicultural?

O Congresso UNIV 2010 quer contribuir para a reflexão acerca do papel da concepção cristã da pessoa, da sociedade e da história na fundamentação dos princípios que podem dar vida a uma cultura autenticamente global.

No encontro, haverá a intervenção de acadêmicos de prestígio, como Joseph Pearce, professor de literatura da Ave Maria University (Flórida) e autor de numerosas biografias; Andrew Hegarty, diretor do Thomas More Institute (Londres); e, ainda, Jeffrey J. Langan, professor da University of Notre Dame (Indiana).

Joseph Pearce.

O UNIV, que terá, neste ano, sua 43ª edição, foi incentivado por São Josemaria Escrivá, fundador do Opus Dei, para que tanto professores como alunos universitários de todo o mundo pudessem refletir junto ao Santo Padre sobre a fundamentação cristã dos valores da cultura global.