Oração: nem uma pitada de vontade

As anotações de Montse Grases durante os últimos meses de sua vida mostram como lutava diariamente para melhorar.

Favores e Relatos
Opus Dei - Oração: nem uma pitada de vontade

Montse Grases, no seu desejo de corresponder diariamente ao que Deus lhe pedia, descobriu que o exame de consciência era um meio, um instrumento, que tinha um papel importante no seu caminho de santificação.

Viu com claridade que esta contabilidade diária ajudava-lhe a ir conhecendo cada vez melhor a si mesma e deste modo alcançar a virtude da humildade. Compreendeu que o seu exame de consciência contribuía a manter vivo o seu desejo de melhorar, e isso a levava a uma constante e otimista renovação, através de propósitos concretos.

Nos últimos meses da sua vida, anotava num pequeno caderno as reflexões sobre a luta nas pequenas coisas de cada dia. Estas anotações terminam uma semana antes do seu falecimento e refletem com simplicidade o desejo de Montse de ser fiel ao que o Senhor ia lhe pedindo.

O que fiz hoje que agradou a Deus? O que fiz hoje que desagradou a Deus? Assim começa, junto a estas perguntas escreve umas jaculatórias a Nossa Senhora “filios tuos adiuva” (ajuda os teus filhos), “causa nostrae laetitiae” (causa da nossa alegria), e pensamentos de confiança em Deus: “servo pobre e humilde” e “Senhor, que eu veja”.

Depois, seus exames concretos de consciência. “Hoje – escreve – muito nervosa e reclamona, falta visão sobrenatural”, e depois o propósito para o dia seguinte: “rezar muitas vezes o Lembrai-Vos a Virgem”.

Outros dias, diz que lhe falta união com Deus, que estava “muito distraída, por pensar no que vão dizer”, ou que na oração, “nem uma pitada de vontade”. Mas continua escrevendo: “Depois retifiquei e Tu me ajudarás... Alegria, apesar de tudo.”

Estas notas tomadas durante o exame de consciência diário são um convite a imitá-la no reconhecimento dos defeitos e no desejo de recomeçar a luta em coisas pequenas. Esta luta no cotidiano mostra uma esperança forte no Senhor e traça um caminho que conduz ao amor com que Montse viveu e morreu. Eram pequenas retificações, mas por São Lucas sabemos que “quem é fiel no pouco, também é no muito”.

Oração para devoção privada