Insígnias e paramentos dos bispos e prelados

Porque os prelados que não são bispos vestem e usam as mesmas insígnias destes? Para responder a essa pergunta reproduzimos parcialmente um texto publicado originalmente em www.lexicon-canonicum.org

Prelazia Pessoal
Opus Dei - Insígnias e paramentos dos bispos e prelados Cruz peitoral, faixa e anel de prelado.

No motu próprio Pontificalia insignia (21-VI-1968), Paulo VI indicou qual era o uso das insígnias pontificais, isto é, o anel, o báculo pastoral, a mitra e a cruz peitoral. O resumo desse documento é que as insígnias episcopais, além dos bispos, só devem ser usadas por aqueles prelados que, mesmo que não tenham recebido a ordenação episcopal, gozem de uma verdadeira jurisdição. Esse documento menciona os legados do Romano Pontífice, os abades e prelados que têm jurisdição num território separado de uma diocese, os administradores apostólicos constituídos permanentemente e os abades regulares com regime próprio, depois de terem recebido a bênção.

Por equiparação, aplicam-se estas mesmas normas a prelados de circunscrições pessoais. Assim acontece com os prelados dos Ordinariatos pessoais de Our Lady of Walsingham e Our Lady of the Southern Cross, que não são bispos, e com o prelado da Prelazia do Opus Dei, que também pode não ser bispo.

No referente às vestes, os prelados equiparados pelo direito aos bispos, mesmo carecendo da ordem episcopal, podem usar as mesmas vestes e insígnias que os bispos (cf. Cerimonial dos Bispos, n. 1206). Por tanto, sempre usa o anel, símbolo da fé e da união nupcial com a Igreja, sua esposa. A veste comum de uso quotidiano pode ser a batina preta, podendo usar também o solidéu e a faixa de cor roxa. A cruz peitoral é usada com uma corrente (cf. ibid., nn.1199-1204).

De um artigo publicado originalmente no site Lexicon Canonicum.