Cronologia da causa de canonização de Isidoro

Por ocasião da promulgação do decreto sobre as virtudes heroicas de Isidoro Isidoro, oferecemos uma cronologia das principais etapas da sua causa de canonização.

Notícias
Opus Dei - Cronologia da causa de canonização de Isidoro

15 de julho de 1943: Isidoro falece em Madri com fama de santidade.

11 de outubro de 1948: primeira sessão do processo informativo sobre a vida e as virtudes de Isidoro, na diocese de Madri-Alcalá, presidida pelo bispo, Dom Leopoldo Eijo e Garay, na capela do palácio episcopal.

19 de abril de 1961: sessão de encerramento do processo, presidida por Dom Leopoldo Eijo e Garay, na capela do palácio episcopal de Madri. Setenta e uma testemunhas, incluindo São Josemaria Escrivá, fizeram suas declarações sobre Isidoro.

21 de outubro de 1965: decreto da Sagrada Congregação dos Ritos sobre os escritos de Isidoro.

1968: termina a preparação da cópia pública, prevista pela legislação então em vigor, para que o seu exame permita o início de um processo apostólico sobre sua vida e virtudes.

1969: o bem-aventurado Paulo VI, com o motu proprio Sanctitas clarior (19 de Março) reforma as normas das causas de canonização e deixa de ser necessário um segundo processo. Em 8 de maio do mesmo ano a Sagrada Congregação dos Ritos foi dividida em duas congregações, uma para o Culto Divino e outra para as Causas dos Santos.

25 de janeiro de 1983: São João Paulo II, com a constituição apostólica Divinus perfectionis Magister, reforma os processos de beatificação.

7 de fevereiro de 1983: promulgação das novas normas relativas aos processos de beatificação, preparadas pela Congregação para as Causas dos Santos.

22 de maio de 1992: a Congregação para as Causas dos Santos estabelece que seja realizada uma investigação complementar para todas as causas cujo processo informativo tenha ocorrido antes do motu proprio Sanctitas clarior (de 1969).

11 de novembro de 1992: Monsenhor Flavio Capucci, postulador da causa na época, solicita ao Cardeal Arcebispo de Madri a abertura de um processo diocesano adicional.

4 de dezembro de 1993: sessão de abertura do processo adicional, presidida pelo Cardeal Angelo Suquía Goicoechea, Arcebispo de Madri.

17 de junho de 1994: sessão de encerramento do processo adicional, presidida por Dom Francisco Javier Martinez Fernández, bispo auxiliar de Madri.

30 de setembro de 1994: a Congregação para as Causas dos Santos emite o decreto de confirmando a validade do processo informativo e do processo adicional.

15 de outubro de 1994: a Congregação nomeia o Padre Daniel Ols, O.P., encarregado da preparação da Positio super vita et virtutibus de Isidoro Zorzano.

25 de março de 2006: o relator apresenta a Positio super vita et virtutibus do servo de Deus. A Positio consiste em quatro seções: história da causa e fontes (28 páginas) biografia (149 páginas), estudo crítico das virtudes heroicas (332 páginas) e resumo (613 páginas).

6 de outubro de 2009: por indicação do arcebispo de Madri, Cardeal Antonio Maria Rouco Varela, e com a autorização da Congregação para as Causas dos Santos, os restos mortais de Isidoro são transferidos para a capela do Cristo da paróquia de Santo Alberto Magno, localizada na Rua Benjamin Palencia 9, Madri.

25 de outubro de 2013: depois do falecimento de Mons. Flavio Capucci, o prelado do Opus Dei, D. Javier Echevarría, nomeia Mons. José Luis Gutiérrez Gómez como postulador da causa de Isidoro Zorzano.

17 de novembro de 2015: o congresso peculiar dos consultores teológicos da Congregação para as Causas dos Santos dá uma resposta positiva à pergunta sobre o exercício heroico das virtudes por Isidoro, e sobre a sua fama de santidade e favores.

13 de dezembro de 2016: a sessão ordinária dos cardeais e bispos membros da Congregação pronuncia-se a favor do heroísmo das virtudes e da fama de santidade de Isidoro.

21 de dezembro de 2016: O Papa Francisco autoriza a Congregação para as Causas dos Santos a promulgar o decreto sobre as virtudes heroicas do Servo de Deus Isidoro Zorzano.