Basta começar (3): Ampliar a sua família

O Papa Francisco convida-nos a viver a cultura da inclusão, do encontro, e acabar com a cultura do descarte. Neste terceiro vídeo da série “Basta começar. Formas de ajudar os outros” vemos algumas consequências de procurar aumentar o coração e a própria família.

Jubileu da misericórdia

Algumas sugestões para ajudar a usar este vídeo pessoalmente, em aulas de formação cristã, reuniões com amigos, no colégio ou na paróquia.

Perguntas para o diálogo

— O que Thomas, de Cingapura e o casal Annemarie e Mathias, da Alemanha têm em comum?

— Porque podemos dizer que estas pessoas ampliaram a sua família?

— Estas pessoas mantêm as suas famílias sozinhas? Quem os ajuda?

— Porque Sara, voluntária num orfanato de Filipinas, afirma que qualquer um pode ajudar e que não é necessário ser profissional para ajudar os outros?

— Você acha que há pessoas que precisam receber calor da família? Como podemos contribuir para dar isso?

Propostas de ação

— Rezar todos os dias pela sua família e por todas as famílias do mundo.

— Prestar mais atenção às pessoas que precisam ser ouvidas ou acompanhadas.

— Tentar difundir ao seu redor alegria e otimismo.

— Procurar informação sobre estruturas de acolhimento que existem na sua cidade, por exemplo: casas para idosos ou crianças, e se for possível, dar tempo e companhia para as pessoas que moram nelas.

Meditar com a Sagrada Escritura

— Qual mãe que acaricia os filhos assim vou dar-vos meu carinho, em Jerusalém é que sereis acariciados (Isaías 66, 13).

—Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. Ele nos consola em todas as nossas aflições, para que, com a consolação que nós mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer aflição (2 Cor 1, 3-4).

— Se um irmão ou uma irmã não têm o que vestir e que lhes falta a comida de cada dia; se então algum de vós disser a eles: “Ide em paz, aquecei-vos” e “Comei à vontade”, sem lhes dar o necessário para o corpo, que adianta isso? (Tiago 2, 15-16).

— Não descuideis da hospitalidade; pois, graças a ela, alguns hospedaram anjos, sem o perceber (Hebreus 13, 2).

Meditar com o Papa Francisco

— Uma família que se fecha em si mesma é uma contradição, uma mortificação da promessa que a fez nascer e a faz viver. Nunca esqueçais: a identidade da família é sempre uma promessa que se alarga, e estende-se a toda a família e também a toda a humanidade (Audiência, 21 de outubro de 2015).

— A «casa» representa a riqueza humana mais preciosa, a do encontro, a dos relacionamentos entre as pessoas, diferentes por idade, por cultura e por história, mas que vivem unidas e que, juntas, se ajudam a crescer (Discurso, 21 de maio de 2013).

— Jesus fez-nos uma grande promessa: «Não vos deixarei órfãos!» (Jo 14, 18), porque Ele é o caminho a percorrer, o Mestre que devemos ouvir, a esperança que não desilude. Como podemos deixar de sentir o arder o nosso coração e dizer a todos, de modo especial aos jovens: «Tu não és órfão! Jesus Cristo revelou-nos que Deus é Pai e quer ajudar-te, porque te ama». Eis o profundo sentido da iniciação cristã: gerar para a fé quer dizer anunciar que nós não somos órfãos (Discurso, 16 de junho de 2014).

— Contemplemos Maria, descubramos o rosto mais belo e mais terno da Igreja; e olhemos para a Igreja, reconheçamos os lineamentos sublimes de Maria. Nós, cristãos, não somos órfãos, temos uma mãe, temos uma mãe, e isto é sublime! Não somos órfãos! A Igreja é mãe, Maria é mãe (Audiência, 3 de setembro de 2014).

Meditar com são Josemaria

— O Mestre passa, uma vez e outra vez, muito perto de nós. Olha-nos... E se O olhas, se O escutas, se não O repeles, Ele te ensinará o modo de dares sentido sobrenatural a todas as tuas ações... E então também tu semearás, onde quer que te encontres, consolo, paz e alegria (Via Sacra, VIII estação, n. 4)

—Não te esqueças de que o Senhor tem predileção pelas crianças e pelos que se fazem como elas (Caminho, n. 872).

— Que alegria contemplar Jesus em Betânia! Amigo de Lázaro, Marta e Maria! Vai ali para recuperar as forças quando está cansado. Ali Jesus tinha o seu lar. Ali há almas que o apreciam. Há almas que se aproximam do Sacrário e, para elas, aquilo é Betânia. Oxalá seja assim para ti! Betânia é confidência, calor de lar, intimidade. Amigos prediletos de Jesus. E também é teu amigo (Meditação, 6 de novembro de 1940).

— Se o amor, mesmo o amor humano, dá tantas consolações aqui, o que será o Amor no Céu? (Caminho, n. 428).

Textos e links para continuar a reflexão

— “Primeiro vídeo da série - Basta começar (1): Trabalhar grátis”

http://www.opusdei.org/pt-br/article/basta-comecar-1-trabajar-gratis/

— “Alimentando corpo e alma”, segundo vídeo da série “Basta começar”

http://www.opusdei.org/pt-br/article/basta-empezar...

— Seção “Jubileu da misericórdia”

http://opusdei.org.br/pt-br/section/jubileu-da-mis...

Vídeo: Dígito Identidad | Texto: R. Vera