Basta começar (10) - Começar pouco a pouco

No décimo vídeo da série "Basta começar", aparecem três iniciativas de serviço, em Filipinas, Áustria e Quênia. Como em outros casos, cujo objetivo é responder às necessidades concretas das pessoas, elas começaram pequenas e não se baseavam precisamente em certezas. Para ajudar os outros , basta começar ...

Jubileu da misericórdia

Algumas ideias para ajudar a aproveitar melhor o vídeo, ou usá-lo em palestras, encontros com amigos, na sua escola ou na sua paróquia.

***

Perguntas para o diálogo

— Você acha que a ajuda que o "St. Josemaría Daycare Center" fornece a crianças e mães jovens é importante para a zona em que ele está localizado? Por quê?

— Com o "1000 Taschen" (1000 bolsas), Kathrin ajuda algumas mulheres a terem uma renda. Aparentemente esta iniciativa e outras semelhantes ajudam a poucas pessoas, que razões você daria para mantê-las e promovê-las?

— Clifford fornece comida para meninos de rua e procura orientá-los a melhorar a sua situação, mas reconhece que às vezes acha que não consegue muitos resultados. Come ele reagiu a esse dilema? Por que continua com o seu projeto?

— Você poderia explicar como nasceram as iniciativas de Mian, Kathrin e Clifford? Com quais obras de misericórdia você se relaciona com cada um desses projetos?

Propostas de ação

— Identificar quais são as principais necessidades materiais e espirituais das pessoas do seu ambiente e pensar em possíveis soluções.

— Procurar informações sobre as várias iniciativas, pequenas ou grandes, que já existem perto da sua casa ou do seu trabalho e, de acordo com as suas possibilidades, colaborar, com o seu tempo, dando companhia ou consolo, ensinando o que sabe, com uma contribuição econômica, etc.

— Enviar roupas em bom estado, remédios que não serão usados, ou alimentos que não serão consumidos em casa, etc., à pessoas que os necessitem.

Meditar com a Sagrada Escritura

— De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada, se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; Se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria. (Romanos 12, 6-8).

— Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. (Mateus 7, 24-25).

— E a multidão o interrogava (a João Batista), dizendo: Que faremos, pois? E, respondendo ele, disse-lhes: Quem tiver duas túnicas, reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos, faça da mesma maneira. E chegaram também uns publicanos, para serem batizados, e disseram-lhe: Mestre, que devemos fazer? E ele lhes disse: Não peçais mais do que o que vos está ordenado. (Lucas 3, 10-11).

— Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. (Mateus 25, 40).

Meditar com o Papa Francisco

— As obras de misericórdia são essenciais para a nossa vida cristã. Olhai ao vosso redor, há sempre alguém que precisa de uma mão estendida, de um sorriso, de um gesto de amor. Quando somos generosos, nunca nos faltam as bênçãos de Deus. (Audiência, 10 de setembro de 2014).

— Como podemos ser testemunhas de misericórdia? Não pensemos que se trata de realizar grandes esforços nem gestos sobre-humanos. Não, não é assim. O Senhor indica-nos um caminho muito simples, feito de pequenos gestos que contudo aos seus olhos têm um grande valor. (Audiência, 12 de outubro de 2016).

— Nunca me cansarei de dizer que a misericórdia de Deus não é uma ideia bonita, mas uma ação concreta. Não existe misericórdia sem concretização. A misericórdia não é fazer um bem “de passagem”; significa comprometer-se onde está o mal, onde há doença, onde há fome, onde há tantas explorações humanas. E até mesmo a misericórdia humana não é autêntica – ou seja humana e misericórdia - enquanto não alcança a concretização no seu agir diário. (Audiência, 3 de setembro de 2016).

— Certa vez uma mãe contou-me […] ela tinha três filhos. E um dia ao almoço — o pai estava fora por trabalho, estava ela com os três filhos, pequeninos, 7, 5, 4 anos mais ou menos — e batem à porta: era um senhor que pedia de comer. E a mãe disse-lhes: «Espera um momento». Entrou e disse aos filhos: «Está ali um senhor que pede de comer, que fazemos?», «Damos-lhe, mãe, damos-lhe!». Cada um tinha no prato um bife com batatas fritas. «Muito bem — disse a mãe — damos-lhe metade de cada um de vós». «Ah, não, mãe, assim não está bem!». «É assim, tu deves dar do teu». E deste modo, esta mãe ensinou aos seus filhos a dar de comer do próprio. Este é um bonito exemplo que me ajudou muito. «Mas não me sobeja nada...». «Dá do teu!». É assim que nos ensina a mãe Igreja. (Audiência, 10 de setembro de 2014).

Meditar com São Josemaria

— Queres um segredo para ser feliz? Dá-te e serve os outros, sem esperar que te agradeçam. (Forja, n. 368).

— O Senhor ofereceu-nos a vida, os sentidos, as potências, graças sem conta. E não temos o direito de esquecer que somos um operário, entre tantos, nesta fazenda em que Ele nos colocou, para colaborar na tarefa de levar alimento aos outros. (Amigos de Deus, n. 49).

— temos de pedir ao Senhor que nos conceda um coração bom, capaz de se compadecer das penas das criaturas, capaz de compreender que, para remediar os tormentos que acompanham e não poucas vezes angustiam as almas neste mundo, o verdadeiro bálsamo é o amor, a caridade. (É Cristo que passa, n. 167).

— Já paraste a considerar a enorme soma que podem vir a dar “muitos poucos”? (Caminho, n. 827).

Textos e links para mais reflexão

Quais são as obras de misericórdia?

Seção “Jubileu da misericórdia”

Seção "iniciativas sociais"

"Pontos de Cultura" em São Paulo

Belo Horizonte e o Projeto Livro ao Vivo

Sinais da misericórdia de Deus para os pobres de Mumbai

  • R. Vera
  • Dígito Identidad